Marcadores

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Memória Infantil

Ao analisar a memória das crianças, cientistas da Memorial University of Newfoundland, do Canadá, perguntaram a 140 crianças entre 4 e 13 anos sobre três acontecimentos de anos atrás de suas vidas. Dois anos depois, perguntaram novamente a elas sobre essas lembranças e para que estimassem quantos anos tinham em cada um dos eventos recordados. Os pais dos entrevistados confirmaram as informações.

O resultado da análise, publicada na revista científica Child Development, mostrou que poucas crianças entre 4 e 7 anos conseguiram se lembrar das memórias que tinham recordado na primeira entrevista, o que sugere que elas são frágeis e vulneráveis ao esquecimento. Já, aquelas entre 10 e 13 anos foram capazes de se lembrar rapidamente mais da metade das memórias do primeiro encontro com os cientistas. A conclusão seria de que o seu filho pode esquecer muita coisa que passou na infância, mas o que ele lembrar mais tarde permanecerá na memória.

Achou triste demais? Fique tranquila! Segundo Silvia Zornig, psicanalista infantil e professora da PUC-Rio, além de todos nós termos memória seletiva, é normal as lembranças ficarem mais consistentes com o tempo porque temos um aparato psiquico mais amadurecido. Lembrar ou não, na verdade, diz ela, não tem tanta importância assim como você pode pensar. Claro que isso não quer dizer que os momentos que seu filho passou ao seu lado – e não se recorda - foi perdido. Todas as experiências, positivas e negativas, da criança têm um impacto na vida dela. O que afeta o desenvolvimento da criança, reforça Silvia, é a qualidade das relações que ela teve, o carinho que recebeu, ainda mesmo antes de nascer. “Uma infância bem vivida nunca vai ser perdida. Elas vão aparecer na adolescência, na vida adulta. Não importa se não lembramos detalhes, mas sim a sensação e o afeto que ganhamos ao longo dos anos”, diz.

Além disso, muitas vezes a memória é criada também a partir do relato de nossos pais, avós, amigos, de fotos que tiramos. Depois, usamos essa informação como se fosse tirada ali, da nossa memória. Então, pode caprichar nos cliques do seu filho e aproveitar cada momento que puder para contar coisas que passaram juntos. Vale para a lembrança dele e para você reviver tudo de novo!

Fonte Revista Crescer.
Beijos e bom fim de semana;
Pri

quarta-feira, 25 de maio de 2011

A pureza..

Como são amados, puros e verdadeiros..

video

Para refletirmos;
Beijos
Pri

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Exames obrigatórios..

À pedido de uma querida aluna hoje vamos debater sobre os exames obrigatórios da maternidade.

Cada vez mais amplos, os exames feitos logo após o nascimento do bebê ajudam a detectar precocemente doenças que não costumam apresentar sintomas imediatos, mas comprometem a saúde já nos primeiros meses de vida. Na rotina das maternidades, o recém-nascido passa por exames obrigatórios e outros que não são de praxe em todas as instituições, mas que podem ser solicitados pelos pais. Veja alguns detalhes sobre os exames e o que eles indicam.

Tipagem sanguíneaÉ a identificação do tipo de sangue – A, B, AB ou O – e seu fator Rh – positivo ou negativo. A tipagem é necessária para emergências médicas. A análise é feita a partir da amostra de sangue colhida para o teste do pezinho, 48 horas depois que o bebê nasce. É obrigatório.
Teste do pezinho básicoÉ obrigatório. Feito em laboratório, com amostra de sangue retirada do calcanhar do bebê ou de uma veia. A coleta se faz depois de 48 horas, pois o recém-nascido deve ter sido alimentado. Isso é necessário para ativar o metabolismo, pois as doenças detectadas são basicamente desordens metabólicas. Entre elas, estão:
- PKU ou fenilcetonúria - doença causada por deficiência no metabolismo do aminoácido fenilalanina, que ao se acumular no organismo lesiona o cérebro e provoca retardo mental. O bebê nasce normal e os sintomas só aparecem depois dos 6 meses. É incurável, mas uma dieta alimentar evita seu desenvolvimento.
- TSH ou T4 - aponta hipotireoidismo congênito, que é a insuficiência do hormônio da tireoide, necessário ao desenvolvimento do sistema nervoso. Os sintomas demoram a aparecer e a criança sofre atraso do crescimento e retardo mental. Pode ser tratada com reposição do hormônio.
- IRT - detecta fibrose cística, que ataca pulmões (com grande produção de muco, que gera tosse) e pâncreas (afetando o metabolismo, o que provoca apetite voraz e desnutrição). É incurável, mas pode ter efeitos amenizados com tratamentos precoces.
- Eletroforese de hemoglobina - indica doenças sanguíneas, entre as quais a mais comum é a anemia falciforme. Trata-se de uma alteração da hemoglobina que dificulta a circulação, causando lesões nos órgãos. Afeta mais a raça negra, embora ocorra também na branca. Incurável, pode ser amenizada com tratamentos precoces.
Teste do pezinho ampliado
A extensão do teste varia, com exames para identificar até 30 doenças diferentes. Os mais pesquisados são a hiperplasia congênita da supra-renal, a galactosemia, a deficiência da biotinidase, a deficiência de G6PD e a toxoplasmose. Não são obrigatórios, mas podem ser indicados pelo pediatra e você pode solicitá-lo na maternidade.
Teste da orelhinha ou triagem auditivaVerifica, com equipamentos, se o bebê escuta perfeitamente. Deficiências auditivas detectadas cedo facilitam a reabilitação e a aquisição da fala. É obrigatório nos hospitais públicos e costuma ser oferecido também nas instituições privadas.
Reflexo vermelho
É o exame com um oftalmoscópio, aparelho que emite luz e produz uma cor avermelhada e contínua nos olhos saudáveis, descartando a presença de tumores ou de catarata. Também chamado de teste do olhinho, não é obrigatório e deve ser solicitado se não for oferecido. Como é um exame simples, não costuma ser cobrado.

Consultores: Francisco Dutra Rodrigues, neonatologista da Maternidade Pro-Matre, e Sineida Rodrigues Castelo Girão, pediatra do Viver e Sorrir — Grupo de Apoio a Prematuros do Hospital São Paulo.  - Revista Crescer

sábado, 14 de maio de 2011

Estresse na gestação..

Cientistas do Perth´s Telethon Institute for Child Health Research, na Austrália, coletaram dados de 3.000 grávidas e situações pelas quais passaram na 18a e 34a semana de gestação. Depois, analisaram o comportamento das crianças e adolescentes com 2, 5, 8, 10 e 14 anos. O resultado do estudo, publicado no jornal científico Development and Psychopathology, revelou que, quanto mais eventos estressantes a gestante passar durante os nove meses, mais risco a criança tem de ter problemas de comportamento.
Para Alessandro Danesi, pediatra do Hospital Sírio-Libanês (SP), apesar de o estudo ter algumas ressalvas, o pré-natal tem, de fato, um impacto no comportamento do bebê. “O bebê tem uma sensibilidade grande no útero e toda vez que há alterações de humor ou do comportamento da mãe", diz. "Na prática, percebo que bebês de mães que tiveram uma gestação turbulenta, com forte estresse, como a morte de um parente, tendem a ser mais agitados, com mais cólicas e dificuldade para dormir." Mas o especialista alerta: isso pode ser revertido se o ambiente em que a criança vive for tranquilo e rodeado de carinho.

E esse é exatamente um dos pontos enfatizados pela autora da pesquisa australiana, Monique Robinson. Segundo ela, independente da exposição do bebê ao estresse no útero, o acolhimento após o nascimento proporciona à criança um enorme potencial para mudar seu curso de desenvolvimento. “Isso é conhecido como ´plasticidade do desenvolvimento', o que significa que o cérebro pode se adaptar e se modificar à medida que a criança cresce em um ambiente positivo”, disse Robinson ao jornal Medical News Today.

De qualquer maneira, vale lembrar (sempre!) que a gravidez deve ser vivida da forma mais gostosa possível.  Afinal, quantas gestações você vai ter na vida?
O melhor a fazer para você e o bebê é procurar relaxar e aproveitar cada segundo desse momento tão especial.

Beijos;

Pri

segunda-feira, 9 de maio de 2011

Adoção não é pra qualquer um..

Hoje, conversando sobre o processo de adoção de crianças no nosso país com meus alunos refleti muito sobre algumas coisas que penso há tempos.

Faço alguns questionamentos porque é dificil compreender que uma pessoa que deseja ser mãe realmente, isto é, de verdade, escolha tanto um filho.
Pra que escolher a cor do cabelo? Dos olhos? A cor da pele?
Pra que escolher a idade?
Quando você gera um filho no seu ventre é possível escolher como será?
É possível saber tamanha perfeição facial ou muscular?

Afinal.. isso é desejo de ser mãe ou é um desejo de mostrar pra sociedade uma criança em seu lar?

Penso que tem muita coisa errada, que crianças não deveriam ficar expostas em "vitrines" para alguém observá-la e escolhe-la, e sim, ter a possibilidade de seja como ela for estar ali e ter uma família querida porque é da alma, é do coração e não apenas dos olhos e de beleza que se vive uma vida digna.

Somos mais que isso.

"Ser Mãe é assumir de Deus o dom da criação, da doação e do amor incondicional. Ser mãe é encarnar a divindade na Terra. - Barbosa Filho"

Beijos, reflitam e boa semana;
Pri

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Mãe

Em homenagem à elas, em homenagem à minha, à todas as mães lindas desse mundão..
Amo você Mi.. Feliz Dia das Mães!!!!

“Os teus braços estão sempre abertos quando preciso de um abraço. O teu coração sabe compreender quando preciso de uma amiga. Os teus olhos sensíveis endurecem-se quando preciso uma lição. A tua força e teu amor dirigiram-me pela vida, dando-me as asas que precisava para voar.”

Beijos à todas;
Pri

quarta-feira, 4 de maio de 2011

O TAL andador..

Muitas mamães compram aqueles andadores "multi funções" para seus filhos, colocam precocemente neles e não imaginam o quão discutido e pouco interessante é este equipamento para o desenvolvimento motor do seu pequeno.
A verdade é que o andador continua a ser muito popular e, contra as recomendações usuais dos pediatras, é utilizado por cerca de 60 a 90% dos lactentes entre seis e quinze meses de idade. Os motivos alegados pelos pais para colocarem seus bebês em andadores incluem: eles dão mais segurança às crianças (evitando quedas), independência (pela maior mobilidade), promovem o desenvolvimento (auxiliando no treinamento da marcha), o exercício físico (também pela maior mobilidade), deixam os bebês extremamente faceiros e, sobretudo, mais fáceis de cuidar.
A idéia de que o andador é seguro é a mais errada delas. Há poucos meses, uma pesquisadora sueca, Ingrid Emanuelson publicou uma análise dos casos de traumatismo craniano moderado em crianças menores de quatro anos, que considerou o andador o produto infantil mais perigoso, seguido por equipamentos de playground.
É verdade que o andador confere independência à criança. Contudo, todos os especialistas em segurança infantil justamente insistem que um dos maiores fatores de risco para injúrias físicas é dar independência demais numa fase em que a criança ainda não tem a mínima noção de perigo.
O andador atrasa o desenvolvimento psicomotor da criança, ainda que não muito. Bebês que utilizam andadores levam mais tempo para ficar de pé e caminhar sem apoio. Além disso, engatinham menos e têm escores inferiores nos testes de desenvolvimento.
E pra quem não sabe, a Sociedade Brasileira de Pediatria publicou um artigo dizendo que no dia 7 de abril de 2007, o Governo do Canadá proibiu a comercialização de andadores para bebês em todo o país, determinando a total proibição de sua venda, revenda, propaganda e importação. Considerou também ilegal vender andadores em vendas de garagem, mercados de pulgas e no comércio ambulante. Recomendou ainda às pessoas que destruíssem e descartassem todos os andadores.

Então vamos repensar quando olharmos aquele brinquedo bonitinho?
Beijos;
Pri

segunda-feira, 2 de maio de 2011

Deus escolhe as Mães..

Dia desses li uma mensagem muito, muito linda. Trabalho com crianças especiais, amo o que faço e tenho uma irmã especial também. Minha mãe e várias mãezinhas que atendo já se perguntaram um dia, o porque de ter acontecido com elas. Não é fácil, mas é abençoado. Leiam abaixo..

"Deus pairou sobre a Terra, selecionando o seu instrumento de propagação com um grande carinho e compassivamente, enquanto Ele observava, Ele instruía seus anjos a tomarem nota em um grande livro:
- Para a mãe Sebastiana, um menino e o anjo da guarda Mateus.
- Para a mãe Maria, uma menina e como anjo da guarda Cecília.
- Para a mãe Fátima, gêmeos, e como anjo da guarda, mande Gerard.
Pronunciando um nome, sorri e diz:
- Dê a ela uma criança deficiente.
O anjo cheio de curiosidade pergunta:
- Por que a ela Senhor? Ela é tão alegre...
- Exatamente por isso. Como eu poderia dar uma criança deficiente para uma mãe que não soubesse o valor de um sorriso? Seria cruel.
- Mas será que ela terá paciência?
- Eu não quero que ela tenha paciência porque, com certeza, se afogará no mar da autopiedade e desespero. Logo que o choque e o ressentimento passar, ela saberá como se conduzir.
- Senhor, eu a estava observando hoje, ela tem aquele forte sentimento de independência. Ela terá que ensinar a criança a viver no seu mundo e não vai ser fácil.
- E além do mais, Senhor, eu acho que ela nem acredita na sua existência.
Deus sorri.
- Não tem importância. Eu posso dar um jeito nisso. Ela é perfeita. Ela possui o egoísmo no ponto certo. O anjo engasgou.
- Egoísmo? E isso é, por acaso, uma virtude?
Deus acenou um sim e acrescentou:
- Se ela não conseguir se separar da criança de vez em quando, ela não sobreviverá. Essa é uma das mulheres que eu abençoarei com uma criança menos perfeita. Ela ainda não faz idéia, mas ela será também muito invejada. Sabe, ela nunca irá admitir uma palavra não dita, ela nunca irá considerar um passo adiante uma coisa comum. Quando sua criança disser 'mamãe' pela primeira vez, ela pressentirá que está presenciando um milagre. Quando ela descrever uma árvore ou um pôr do sol para seu filho cego, ela verá como poucos já conseguiram ver a minha obra. Eu a permitirei ver claramente coisas como a ignorância, crueldade, preconceito e a ajudarei a superar tudo. Ela nunca estará sozinha. Eu estarei ao seu lado cada minuto de sua vida, porque ela estará trabalhando junto comigo.
- E quem o senhor está pensando em mandar como anjo da guarda?
Deus sorriu.
Dê a ela um espelho, é o suficiente!"

Lindo, beijos e tenham uma ótima semana..